Segunda, 25 out 2021
Ligas
+ Filiados
2ªDIV
A3
A2
A1

Força
Aparecido Inácio da Silva
Presidente
Força Esporte Clube
História

Com tradição no apoio aos trabalhadores, desde 2000 a Força Sindical ampliou sua área de atuação e deu início a um projeto social para atender crianças e adolescentes carentes das cidades de Franco da Rocha, Mauá e Mogi das Cruzes. A melhor forma encontrada pelos organizadores do projeto para transformar estes jovens em cidadãos conscientes foi o esporte, mais precisamente o futebol.

 

Porém, o projeto cresceu e o bom desempenho em campo motivou a direção a fundar um clube de futebol profissional que carregasse as cores da Força Sindical. Surgiu então, no dia 16 de maio de 2001, o Força Esporte Clube, que atualmente conta com cinco categorias: Social – formada por garotos de 8 a 14 anos –, Sub 15, Sub 17 e Sub 20. Todos os atletas são orientados para se dedicarem aos estudos, paralelamente ao futebol.

 

Além das categorias de base, o Força mantém uma equipe profissional, que conquistou seu primeiro título pouco depois de completar dois anos de existência. Em 2003, o Força sagrou-se campeão paulista da Série B3. Em 2006, com as modificações nos regulamentos e nomes dos campeonatos estaduais, o clube passou a disputar a Segunda Divisão do Campeonato Paulista. No ano seguinte, conquistou o acesso, passando a disputar a Série A3 da Primeira Divisão em 2008, quando ficou com a 16ª colocação, a mesma ocupada ao final da primeira fase de 2009.

Ficha Técnica
Força
Endereço
Rua Galvão Bueno, 782 CEP 01506-000 Telefone: (11) 3478-1450
WEb site oficial
Fundação
16/05/2001
Mascote

A Força Sindical foi fundada no dia da mulher, 8 de março de 1991. Neste momento nascia uma nova central que tinha como objetivo reformular o movimento sindicalista brasileiro, acompanhando a abertura pela qual o País passava. Quatro anos mais tarde, a Força Sindical já contava com 445 entidades associadas e mais de 4 milhões de trabalhadores na base.  Sua equipe de futebol profissional, que entrou em campo em 2001, só poderia ter como mascote o seu maior símbolo: um trabalhador, representado pelo operário brasileiro.